Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O papel do varejo continua sendo muito importante para a economia dos países, mesmo centenas de anos depois de seu surgimento. Valorizar as mudanças e os aperfeiçoamentos dessa área de vendas pode aumentar o lucro e a produtividade de toda uma equipe.

O tempo passa, os conceitos mudam, mas o papel do comércio varejista continua sendo de fundamental importância. Movimenta a economia, gera empregos, produz riquezas, progresso e bem-estar. Aproxima as pessoas, povos e países, beneficiando toda a sociedade através da ligação que faz entre a indústria e os consumidores, além de puxar todos os demais elos da cadeia produtiva.

Hoje e sempre, os comerciantes têm muitas razões para se orgulhar da sua atividade, cuja história se confunde com o desenvolvimento da própria humanidade, desde os fenícios, povo que foi grande precursor na descoberta de fornecedores e na movimentação de mercadorias entre países, sempre com o firme propósito de servir da melhor forma possível os consumidores da época. Já praticavam o bom marketing que conhecemos hoje.

Vivemos em tempos velozes, de rápidas mudanças tecnológicas, econômicas, sociais e políticas, que desafiam cada vez mais os fenícios de hoje. Mudanças que refletem fortemente nas relações de negócios, nos hábitos de consumo, assim como na própria maneira de ver, sentir e praticar os atos de vender e comprar.

O relacionamento interpessoal mudou sensivelmente. As pessoas valorizam mais os profissionais que sabem lidar com gente, ouvir com atenção especial para rever estratégias e mudar com rapidez. Os consumidores e o mercado, em geral, valorizam e respeitam as empresas que conseguem lucrar prestando um bom serviço, sendo também socialmente responsáveis.

O novo consumidor não se contenta com bom atendimento apenas. Agora ele quer viver uma experiência inesquecível antes, durante e depois da compra. Para não ser atropelado por esse inevitável processo, nem sempre bem organizado ou com regras muito claras, o profissional do varejo precisa conhecê-lo, dominá-lo, domá-lo e colocá-lo para trabalhar a seu favor. Adotando a cultura do aprendizado contínuo.

É por isso que as empresas de sucesso são sintonizadas com o mercado e parceiras inseparáveis de seus colaboradores. Fazem alianças estratégicas com seus fornecedores, um complementando o outro, utilizando as ferramentas de Trade Marketing e desenvolvendo projetos compartilhados, visando atingir objetivos mútuos.

Assim como os fenícios da antigüidade, elas utilizam os modernos recursos da logística para satisfazer seus consumidores. São ?máquinas humanas? especializadas na satisfação dos clientes. São o melhor lugar para as pessoas trabalharem. Têm clima agradável para comprar, conforto, qualidade e ambiente favorável à realização de bons negócios.

Varejo pressupõe dinamismo, elasticidade e muita ação. As empresas que operam nesse ambiente concorrido e desafiador são cada vez mais verdadeiros centros de excelência em todos os sentidos. E excelência só se atinge através da educação continuada, trabalhando com eficácia todas as fases da operação. É a única maneira de evitar as armadilhas das mudanças e usufruir dos benefícios desta nova era de prosperidade.

Era de mudanças rápidas e de grandes oportunidades para quem estiver habilitado para enfrentar as suas novas exigências. Era de gente que sabe se unir para a construção do sucesso de todos, no caso dos pequenos e médios varejos. Aliás, o problema do pequeno não é ser pequeno. O problema é trabalhar sozinho, sem procurar o apoio de uma entidade representativa, para unir esforços com outros varejistas.

Mas o problema maior ainda é a falta de preparação e de visão comercial. O hábito de virar as costas para o mercado e tratar o consumidor com indiferença. Até que ponto a mentalidade que reina na sua empresa pode ser equiparada aos fenícios? Você é um novo fenício?